domingo, 7 de janeiro de 2018

Sporting 5-0 Marítimo :: exibição de gala!

foto: Carlos Palma/NurPhoto via Getty Images

Provavelmente é assim em todos os clubes, mas no Sporting fico sempre com a sensação que é pior. Quando o 11 titular foi conhecido esta tarde, antes do jogo com o Marítimo, a discussão sobre plano táctico e dificuldades que o adversário nos podia colocar passou para segundo plano sendo substituída pela obsessão doentia que temos em tratar mal os nossos jogadores. 

Bem sei que no passado, até eu, provavelmente, poderia fazer uma ou outra crítica mais forte, mas, e agora passemos ao caso de hoje, falar mal de Bryan Ruiz esta época é apenas doentio, reforçado porque cometeu o erro capital de falhar um golo fácil diante do Benfica. Digo sempre isto, ninguém se lembra dos falhanços de William e de outros, na semana anterior a esse derby, quando fomos a Guimarães. Bem ali na minha frente!

O Sporting, a meio da semana, foi à Luz e jogou pouco. Já o disse no texto dessa partida e era necessário fazer alterações óbvias, não só porque o adversário era outro, porque jogávamos em casa e havias problemas físicos e disciplinares.

O jogo contra o Marítimo era, na minha opinião, um teste complicado e estava a deixar-me com os nervos em franja. Não podíamos, de forma alguma, perder pontos. Claro que o Sporting joga sempre para ganhar, mas hoje, a margem era zero. E não estava relacionado com o facto de já conhecermos o resultado do Benfica e de, previsivelmente, o Porto estar a caminho de uma vitória diante do Vitória SC (não acontece uma vitória dos de Guimarães desde 2001, segundo li por aí).

Duas alterações eram fundamentais para o jogo desta noite: entrar Podence e mexer na esquerda. A alteração no eixo da defesa era natural, Mathieu lesionado entrou André Pinto. É precisamente na esquerda que residiu esta tarde uma quantidade de críticas sobre a entrada de Bryan Ruiz como titular. 

Na minha humilde opinião, nem poderia ser outra opção. Acuña está cansado e tem estado a jogar mal, é importante que recupere e volte à forma que estamos habituados, Bruno César estava castigado para este jogo, Iuri não tem sido solução até porque quando foi chamado a jogar, esteve, quase sempre, com pouca intensidade e "fora de jogo". Logo, Bryan, recuperado para esta segunda parte da época, para jogar ou para, quem sabe, tentar algum negócio, era a solução mais óbvia para que o Sporting tivesse mais jogo interior.

Jorge Jesus pode e deve ser criticado com cabeça, tronco e membros, e até o fiz no jogo da Luz, nalgumas opções, mas, não há dúvidas que sabe muito de futebol e o resto é conversa.

Não foi apenas pela vitória de hoje com 5 golos, a exibição soberba de Bruno Fernandes com 4 assistências, os 43 pontos da primeira volta, o hat-trick de Bas Dost, os 90 minutos uns atrás dos outros de Coentrão, os dois laterais direitos de qualidade que temos, Ristovski, Piccini e o que jogam. Há quanto tempo não acontecia isto? As exibições de grande nível de Gelson e William que se sucedem dia após dia, o efeito Battaglia e, claro, o golo de Bryan Ruiz.

O golo de Bryan Ruiz, hoje, foi a cereja no topo do bolo cozinhado por Jorge Jesus!

Fechou a primeira volta do campeonato, estamos em segundo lugar mas dependemos de nós para conseguirmos o título de campeão nacional. Tudo é possível e ainda há muito trabalho pela frente apesar do bom que até agora foi efectuado. A luta a três, quem sabe a quatro, continua!

É Feita de Aço a união entre adeptos e a nossa equipa, apoiada pelos que estão na bancada em qualquer estádio deste país, e que, certamente, não irão abandonar o Sporting e estarão na luta semana após semana para ajudar a conquistar os três pontos!


Sem comentários: