sexta-feira, 9 de março de 2018

Sporting 2-0 Viktoria Plzeň :: confiança para atingir os quartos!

foto: Carlos Costa/NurPhoto via Getty Images


Vitória tranquila do Sporting diante do Viktoria Plzeň na primeira mão dos oitavos de final da Liga Europa. Foram cumpridos, pelo menos, dois objectivos para o jogo da noite passada: marcar golos e não sofrer nenhum. Marcar pelo menos mais 1 golo e ir à República Checa com 3-0 teria sido mais agradável. Mas o essencial foi conseguido.

O Sporting apresentou um 11 titular que não oferecia grandes dúvidas. Face às lesões, principalmente, a equipa que entrou em Alvalade era óbvia e correspondeu ao que se pretendia desta partida que iniciou um ciclo de 4 jogos em 10 dias.

O Sporting fez muito mais remates que o adversários, 20 contra 6, a posse de bola foi muito superior com 68% contra 32%, a qualidade de passe também, o Sporting atingiu 89%, e há que destacar 4 exibições que ontem tivemos a oportunidade de assistir.

Começo por Acuña. Uma pausa para respirar. Este argentino, louco, não pára há não sei quantos meses, tem um pé esquerdo fantástico, nunca desiste de um lance e ontem fartou-se de colocar bolas na área que só tinham de ser encostadas. Se metade dos lances começados por ele tivessem eficácia por parte dos companheiros ao intervalo estaríamos a ganhar por 3 golos sem resposta.

Depois passo para Bryan Ruiz e para mais uma belíssima exibição ao nível do que já nos habitou, na primeira época em Alvalade e que tem acontecido nos últimos 4/5 jogos. Fui, sou e serei um opinador com palas em relação ao que Bryan produz para a equipa. Adoro o seu estilo de jogo e a classe com que acaricia a bola. Bem vindo, meu caro!

Segue-se Montero. Eu adoro o Montero porque sempre foi um grande profissional, com provas dadas no Sporting, e que já aturou o sempre complicado "tribunal" de Alvalade que assobia aos que muito dão ao clube, dentro e fora de campo. Ontem regressou o Montero que conhecemos quando foi contratado pela primeira vez. 

Por fim, Coentrão. Já o disse, há muito tempo no Sporting160, que o Sporting tem de fazer tudo que estiver ao seu alcance para contratar o Fábio Coentrão para ficar na equipa, quem sabe, até ao final da carreira. Os festejos nos golos, a raça dentro de campo, tudo ali é genuíno numa casa que ele sabe que precisa, urgentemente, de conquistar o título máximo no futebol para atingir o nirvana desportivo que tanto ambiciona.

Por falar em Coentrão, hoje é capa do Jornal A Marca com uma grande entrevista!


1 comentário:

João SCP disse...

Boas,

Está disponível a votação sobre o melhor médio-ofensivo da Primeira Liga portuguesa em http://galaxiafutebolistica.blogspot.pt

Abraços