quarta-feira, 16 de maio de 2018

Violento ataque ao Sporting!



Criminoso
Um acto criminoso que mancha a centenária história do Sporting Clube de Portugal.
Não há outra forma de começar a falar sobres estes acontecimentos e é absolutamente necessário repudiar tudo o que se passou no dia de ontem. 
Por um lado é um assunto de polícia, que seguirá o seu trâmite normal e legal, apurando as responsabilidades e levando até às última consequências na penalização dos prevaricadores.
Por outro lado é um assunto referente ao Sporting, antes de ser um problema do futebol. Portanto, o Sporting terá de assumir as suas responsabilidades e punir, se for o caso, quem estiver ligado ao clube e estando associado a estes actos criminosos.

Sporting
É normal, e até natural, dizer-se que isto não é o Sporting. O que aconteceu ontem na Academia não é o Sporting. Percebo a analogia, mas não concordo com o que pode ser um descartar de responsabilidades. Como disse em cima, antes de ser um problema do futebol português, que também é, isto foi no Sporting, dentro das instalações do Sporting e os atacados eram jogadores e elementos do staff do Sporting. A responsabilidade em primeiro lugar é do Sporting. Saibamos perceber isso, como saibamos entender que o Sporting é muito mais que isto, certamente, ninguém tem dúvidas, como se percebeu pela manifestação que ontem acabou por acontecer à noite em redor do Estádio e do Pavilhão João Rocha.

Direcção
Na estrutura do Sporting, e todos os clubes em Portugal, o Presidente é a sua figura máxima. A declaração de Bruno de Carvalho após os incidentes, na minha opinião, não foi a mais assertiva. Quando ele se refere ao acontecimento como um ataque à Direcção, estamos a misturar as coisas. De tarde, em Alcochete, o que se passou foi um ataque ao clube. De manhã e outras tricas que vão acontecendo poderão ser analisadas como ataques à Direcção, agora, aquele episódio em concreto é um ataque muito claro ao nosso clube.
Devo dizer que não posso, nesta altura, dizer de forma certa e coerente que a demissão de Bruno de Carvalho seja o melhor caminho, não coloco de parte, no entanto, a necessidade de alterar uma situação que entre Presidente e um conjunto de jogadores que foram agredidos e que são activos valiosos do clube, vá partir pelo lado do responsável máximo. Não aceito que isto seja transformado entre os que estão indefectivelmente ao lado dele e os que estão já a ver uma oportunidade para chegar ao cargo. Não aceito este discurso e caminho bélico em que se transformou nestes últimos tempos o Sporting. O silêncio é de ouro, segunda feira o que tiver de acontecer, acontecerá e o Sporting, de certeza, que continuará. Sempre!

Jogadores
São vítimas de um ataque. Confundir as caralhadas que um gajo manda durante o jogo, até uma espera em Alvalade ou à saída de um estádio para lhes mandar umas bocas, até uns insultos, com um ataque violento desta natureza, desvirtua os valores com os quais o meu avô, Sportinguista, que me transformou neste doente que sou pelo Sporting, me passou e identificou como Leão.
Nesta altura não espero grande coisa do jogo de domingo, aquela festa incrível que normalmente se passa no Jamor está estragada por um episódio que extravasa o futebol. 
Não sei o que os jogadores terão na cabeça neste momento e não sei se existe alguém na equipa técnica do clube que lidere estes próximos dias e seja capaz de ajudar a serenar os ânimos para o jogo de domingo.
É um dia triste e neste momento, mesmo estando sedento de vitórias e troféus, só podemos esperar pelo final da época, no domingo, e no dia seguinte, certamente, há um virar a página. Tem de haver!

4 comentários:

andrzej disse...

Leio este blogue há algum tempo e, mesmo que nos últimos anos tenha discordado de muito do que aqui foi escrito, nem por isso a leitura deixou de ser proveitosa.

Contudo, há uma coisa que talvez nunca tenha sabido explicar nos meus ocasionais comentários e que me amargura demasiado para calar. O problema deste presidente e direcção, menosprezado por muitos por ser apenas um problema «de comunicação», é que a actual cultura do clube se faz de divisão, conspiranóia e ódio. E é alimentada todos os dias. E o ódio atinge adversários, jogadores, colegas, treinadores e absolutamente todo o interveniente que se atravesse no seu caminho. Daí que nem escapem os sportinguistas com opiniões divergentes. Sportingado, sportinguense, croquete. Tudo insultos cunhados nos últimos anos e ao longo deste mandato para ridicularizar vozes discordantes.

Para mim, esta é uma postura e maneira de ver as coisas inadmissível que não cabe num clube como o Sporting (nem em nenhum outro clube, para dizer a verdade). Manifesta-se na comunicação de forma mais evidente, sim, mas é sobretudo reveladora de uma maneira de pensar e agir perigosa. Uma maneira de ver as coisas que, se perpetuada, esvaziará de sentido o Sporting tal como descrito na sua fundação.

Por isso, hoje como há um, dois ou três anos, digo que nada que ele possa fazer de bem apagará o essencial: BdC não serve. A demissão virá sempre tarde.

rui pinheiro disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
João SCP disse...

Como Sportinguista o dia de ontem e o dia de hoje foram os piores dias da minha vida. Tenho 25 anos de idade, vi Sporting ser duas vezes Campeão Nacional (1999/2000, 2001/2002), vi o Sporting vencer várias Taças de Portugal e Supertaças, vi o Sporting perder uma final da Taça UEFA em casa (2005), vi o Sporting fazer uma campanha quase brilhante na Liga Europa, caindo, apenas, aos pés do Athletic Bilbao (2011/2012), vi vários grandes jogadores envergarem a bonita camisola verde e branca (Peter Schmeichel, Beto Acosta, Mário Jardel, João Vieira Pinto, Liedson, Van Wolfswinkel, Diego Capel, Matías Fernández, CR7, Quaresma, Nani, João Moutinho, Miguel Veloso, Bas Dost ou Bruno Fernandes, por exemplo) e vi o Sporting "morrer duas vezes na praia" no que toca à luta pelo campeonato (2006/2007, 2015/2016).
Este Sporting, presidido por esta criatura aberrante, não é o MEU Sporting Clube de Portugal, clube que SEMPRE apoiei.
Na época passada e esta época fui um crítico de Jorge Jesus, mas o técnico não merecia o que lhe aconteceu, nem os jogadores mereciam o que aqueles cobardes (que nem as trombas mostraram) lhes fizeram.
Ontem e hoje sinto um vazio dentro de mim, tal como o nosso goleador disse, e hoje uma parte de mim morreu. Espero que os VERDADEIROS Sportinguistas, aqueles que AMAM o Clube e que sofrem por ele, corram com o mentecapto, psicopata e maluquinho que está a levar o MEU Sporting Clube de Portugal para o fundo. Eu quero o MEU Clube de volta ao topo e quero um Presidente que defenda o Clube com unhas e dentes e que ponha os interesses do Sporting Clube de Portugal em primeiro lugar.
Sendo eu, apenas, um adepto não-sócio, peço a todos os sócios e VERDADEIROS Sportinguistas que consigam tirar de lá o psicopata que está a arruinar o MEU Clube, o MEU Sporting Clube de Portugal, porque quem tanto sofri em todos os jogos ao longo dos meus 25 anos de vida.

Saudações Leoninas. E acredito que o MEU Sporting Clube de Portugal vai-se reerguer deste pesadelo e que me vai voltar a dar alegrias, como me deu no passado.

José - uma homenagem paterna disse...

Fabricam-se leis, sobre leis.
Mas cada vez há mais salvajaria
Quem são os responsáveis?...
Politicos e dirigentes desportivos.
Sporting, Sporting, verde sobre um coração vermelho...
Que sejam todos, mas todos os vândalos que se passeiam pelos Estádios de futebol, pelos recintos desportivos, reesponsabilizadas pelos seus actos violentos.