Braga 1-0 Sporting :: futebol pobre!

foto: MIGUEL RIOPA/AFP/Getty Images


O Sporting perdeu e bem. Sem querer tirar mérito ao Sporting de Braga, se a jogar tão mal, como ontem vimos, nos venceu, isso diz muito sobre a exibição da nossa equipa. Nos momentos cruciais, onde se define o que pode vir a ser uma grande equipa, mesmo que seja só à base de resultados, o Sporting de José Peseiro falhou e ontem, ao contrário do que tem acontecido no campeonato, a culpa é, principalmente dele.

Curiosamente durante a semana tinha analisado duas estatísticas muito curiosas sobre este início de campeonato do Sporting e uma sobre a carreira do treinador.

O Sporting contando apenas as primeiras partes, e antes do jogo do Braga, era o 10º classificado tendo em vista o resultado que se verificava ao intervalo. Ou seja, a equipa é totalmente amorfa, pouco esclarecida e dá 45 minutos de vantagem a qualquer adversário. 

Nas segunda partes, porém, era a melhor equipa até à jornada actual, o que preocuparia qualquer, pois, um dia, esses segundos 45 minutos não iriam chegar para conquistar 1, quanto mais os 3. Esse dia foi ontem por outra razões mais!

A outra estatística é referente a José Peseiro, em toda a sua carreira enquanto treinador, foi este ano a primeira vez que chegou aos sexto jogo oficial, isso mesmo, seis jogos oficiais pelo clube que treina, sem uma única derrota. O que atesta bem a dificuldade que tem em manter um registo vitorioso, digno de um grande clube, e, infelizmente para nós, quebrado já ontem com a derrota em Braga.

Eu não tenho grandes expectativas em relação ao trabalho de Peseiro no Sporting. Já o disse em diversas plataformas onde vou intervindo, fui contra a sua escolha, considero-o um treinador mediano e com pouca ambição para a grandeza do nosso clube, nunca ganhou títulos relevantes nas equipas por onde passou, tem uma dificuldade enorme em controlar o seu balneário, mas, não irei entrar na crítica fácil só porque, nesta altura, em que se perdeu um jogo, é fácil atacá-lo. A crítica será sempre a mesma como era com Jorge Jesus, Marco Silva ou Leonardo Jardim, treinadores que em diferentes momentos nos forem úteis e marcantes num caminho que trilhámos e, esse sim, que queríamos ver continuado.

Peseiro no final do jogo mostrou e dá razão ao que digo atrás, entre palavras amigáveis de "o empate seria justo", "estou contente pela reacção da minha equipa" e a forma como Nani saiu de jogo, não pela substituição, que era mais que justa e até pecou por tardia, mas pelos protestos de Nani, embora para si, e porque sabemos que Peseiro não fará neste caso nenhum reparo como fez com os jovens que já não estão na equipa. Com jogadores com outro peso, não há ascendente de Peseiro mesmo sendo o líder, porque ser líder não é uma palavra, conquista-se com actos.

Porque razão é o principal culpado da derrota de ontem?

O Sporting chegou ao intervalo igual ao que tem feito esta época. Apenas esteve a vencer um jogo em 6 jogos oficiais, para a Taça da Liga contra o Marítimo. Raramente parte para cima do adversário, não pressiona, tem poucas oportunidades de golo e consequentemente pouca eficácia.

Não me esqueço que ainda na semana passada, no Sporting160, como já referi noutras alturas, a equipa que entrou ontem em campo até será a melhor como 11 titular, agora, o duplo pivot e as dificuldade em mexer na hora certa tem sido um grande problema de Peseiro (já com Jorge Jesus isso acontecia, especialmente na última época).

Com o jogo a decorrer na segunda parte, e sabendo que era absolutamente vital sair de Braga com a vitória, ainda por cima jogando o adversário bem menos do que esperado, José Peseiro tinha de saber ler o jogo e perceber que tem de mexer primeiro que Abel para ganhar. O Sporting, nestas circunstâncias, tem de mexer sempre que o adversário se quer vencer. Um golo, percebia-se perfeitamente, iria ser o suficiente para ditar o vencedor.

O momento exacto para a mexida?
Aos 64' quando Bruno Fernandes remata a rasar o poste após cruzamento de Montero. Naquele momento, em que não "matámos" o jogo, era preciso mexer e rapidamente, até porque o Braga já tinha tomado a iniciativa 2 minutos antes.

A juntar a tudo isto, uma perda de bola numa saída rápida do Sporting para um possível contra ataque perigoso, dá em golo do Braga. 

Sofremos o golo e 4 minutos depois mexemos. Ridículo. Esperámos demasiado tempo e colocámos em campo Castaignos. Pobre da equipa que pretende atacar o título recorrendo a Castaignos para tirar Montero que era dos mais esclarecidos na pobreza de jogo do Sporting.

Peseiro não pode ter medo de mexer a tempo e com certezas, ontem Nani e Bruno Fernanes deveriam ter saído do jogo bem mais cedo. Jovane, provavelmente, já merece a titularidade.

A 4 minutos do fim José Peseiro meteu Diaby. Naquilo que costumo chamar de "estrebuchar do morto". Sabes que já está tudo perdido, mas ainda fazes uns movimentos bruscos só para mostrares que ainda mexes. Já não havia nada a fazer!

Primeira derrota no campeonato, não está nada perdido, todos achamos que a equipa pode render muito mais, mas no banco morará sempre o nosso maior problema e que comanda a equipa. É pena!

Nota final para o Abel, não em relação ao trabalho dele no Braga porque isso diz respeito aos seus adeptos e a mim pouco me interessa, mas vê-lo falar um dia antes do jogo com aquela raiva toda em relação ao Sporting, mostra muito bem como é este ecossistema Sportinguista de adeptos, dirigentes, ex-dirigentes, ex-treinadores, que estão sempre prontos a barafustar contra o clube que, em muitos casos, foi o trampolim para eles. Neste caso particular, ainda é mais triste ver que o Abel não fala assim quando é contra o Porto ou Benfica!

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Porque não concordo com a expulsão de Bruno de Carvalho!

Sporting 2-3 Rio Ave :: fim de ciclo para Keizer!

A receita Bas Dost!