Organograma sempre foi uma boa ideia!


Acho que ninguém tem dúvidas da importância da área de comunicação para um clube de futebol, principalmente para o Sporting, quando tanto foi discutido no passado e tantas dúvidas foram levantadas.

Comunicar não é só "mandar uns bitaites" nas redes sociais ou nas TVs, ou influenciar jornais ou outros meios. Obviamente, tem muito de estratégia e de processos, tal como outras áreas da gestão, mas tem algo que é muito mais importante e que muitas vezes é descurado: a paixão.

No clube rival encontrámos um director financeiro que se diz Sportinguista. Dizem que tem feito um bom trabalho, nunca se vê colocar em causa o facto de ser do Sporting, mas, como bem sabemos, as finanças são racionais. São números. Muitos adeptos nem se interessam pelo que acontece no dia a dia do seu clube nesta área.

Na comunicação isso não pode nunca acontecer. Sou a favor que haja um lado irracional, apaixonado de quem vive o clube, quem percebe as nossas necessidades e que, tal como comecei o texto, seja racional apenas na estratégia e nos processos. 

Pensemos numa organização e quem é que o responsável pela comunicação deve, principalmente, agradar? Os sócios e adeptos do Sporting. Isso faz-se com profissionalismo e com uma grande dose de Sportinguismo.

Isto leva-me a um outro ponto nesta nova direcção de Frederico Varandas. As dúvidas do responsável de comunicação ou da empresa que poderá tomar conta deste pelouro no Sporting continua envolto em muitas dúvidas. Por um lado garante-se a pés juntos que está tudo resolvido e será a LPM a assumir porque é o pagamento de ter feito a candidatura, por outro lado, até ao momento, não se conhecem contornos absolutamente nenhuns.

É exactamente aqui que me faz muita confusão. 

Um candidato quando lança o seu programa a Presidência do Sporting Clube de Portugal indica os nomes dos orgão sociais que vão ser sufragados, logo, faria sentido e deveria ser "obrigatório" que assim que é eleito um Presidente, uns dias, poucas semanas após a eleição, apresentasse um organograma completo, nome, cargo e função (e até CV de alguns), no Sporting SAD e Sporting Clube. 

Podia ser apresentado por e-mail aos sócios, ou colocado na área privada do website, para não ser totalmente público, embora não visse grande problema com isso, mas acabava com grande parte da especulação e mostraria a transparência necessária para quem assume um cargo de enorme responsabilidade como é este, de Presidente, bem como os outros.

Parece tão simples, já feito pelo menos uma ou duas vezes no passado, que, por vezes, olhando para tantos profissionais que passaram pelo Sporting, não se percebe como não somos capazes de responder de forma assertiva a certas dúvidas que surgem a todos os sócios e adeptos.

Custa alguma coisa ser transparente?

Comentários

Leão da alameda disse…
Transparência era na direcção anterior, nesta, as boas intenções, só duraram antes de serem eleitos, como fazem os politicos, e é assim que os slortinguistas, parecem apreciar, transparência a mais, por vezes pode levar à destituição.