Sporting 1-0 Feirense :: do banco a formação saltou para a vitória!

foto: Carlos Palma/NurPhoto via Getty Images


Ao fim de quatro jornadas, quando o campeonato vai parar pelo menos 21 dias, o Sporting está no primeiro lugar (ex-aequo) num dos períodos mais conturbados da sua história centenária. Se, em Junho, nos dissessem que a nossa equipa iria estar em primeiro lugar, mesmo não praticando um futebol espectacular, não iria acreditar. Pela confusão directiva, pelas eleições, pelo treinador, pelas lacunas da equipa, por tudo e mais alguma coisa. Mas nunca, em momento algum, precisaria de usar como argumento para o que quer que fosse, os falhanços que muitos estariam à espera. Separar o Sporting clube (mesmo sendo SAD, mas percebem o que digo), do resto, nestes momentos é absolutamente essencial!

Vencer o Feirense foi muito complicado, mas é de elementar justiça elogiar o trabalho de Nuno Manta Santos, segundo treinador há mais tempo à frente de uma equipa da primeira divisão, na forma como colocou a sua equipa em campo em Alvalade. Nunca esperou pelo anti-jogo, não abdicou do seu esquema habitual, com preponderância em Tiago Silva, que grande exibição, e esperando sempre que Edinho pudesse finalizar (pelo menos 2 oportunidades) e só não levou, pelo menos, 1 ponto de nossa casa porque Jovane Cabral não deixou!

José Peseiro apresentou o mesmo 11 que empatou na Luz. Previsível, diria que até aceitável, pois, tendo em conta as soluções, apesar de já contarmos no banco com Diaby e Gudelj, é o melhor que podemos encontrar no actual Sporting. No entanto, e como ganhámos, podemos fazer um exercício diferente, especialmente para os jogos em casa diante de equipas como o Feirense que são 80% do nosso campeonato.

Jogamos sempre para vencer, muito mais em casa que não podemos vacilar e espera-se sempre a conquista dos 3 pontos. Contra as tais 80% das equipas na nossa Liga, entraria com um esquema sempre mais ofensivo. Aquele que acabou por nos dar a vitória, Acunã na lateral esquerda, Jovane e Raphinha nos extremos, Bruno Fernandes no meio campo e Nani atrás do ponta de lança Dost ou eventualmente Montero. Em Alvalade, enquanto não há Diaby e Gudelj, ou pelo menos não percebermos o que valem, entrava sempre assim. Parece-me o onze ideal para o Sporting e para o estilo de jogo de Peseiro. Provavelmente podíamos ficar mais descobertos atrás, mas na frente estaríamos sempre mais próximos do golo.

Aliás, foi esse o problema na primeira parte do Sporting. Se o golo tem surgido cedo, porque tivemos oportunidade para isso, tudo seria diferente. O Sporting acalmava, o Feirense mudaria o estilo de jogo, e teria de responder à desvantagem, e não o que acabou por acontecer. Depois de um início prometedor do Sporting, a equipa Fogaceira encaixou e conseguiu controlar o Sporting, as oportunidades de golo foram divididas.

Percebeu-se que o Sporting ia ter uma tarefa muito complicada na segunda parte. Se Tiago Silva e companhia estavam a evoluir bem no relvado de Alvalade, perante uma boa casa, com quase 39 mil, Caio Seco engatou e não estava para ser o bombo da festa. Vai daí e começa a defender tudo o que havia para defender na segunda parte.

À falta de inspiração de Bruno Fernandes, e vão três jogos em que o rendimento consumado está muito longe do estimado, já com Jovane Cabral em campo e a dar comprimento ao jogo do Sporting esticando-o até não poder mais, Peseiro foi forçado a colocar em campo Castaignos, no lugar de Montero. E resultou!

Bola alta lançada para a entra da área do Feirense, Castaignos nas alturas a perturbar a a acção do jogador do Feirense, com a bola a chegar aos pés de Raphinha, melhor em campo. Um paragem, um contra um e desmarcação de Ristovski já dentro da área, Castaignos entra no primeiro poste e arrasta o defesa consigo, Jovane aparece atrás antecipando-se à marcação directa e golo!

Da formação do Sporting e do banco veio a vitória e a conquista dos três pontos. Se o último dia do mercado mostrou que podemos estar com algumas dificuldades financeiras para grandes voos, apostemos na formação e em soluções certas e sérias que às vezes estão ali mesmo à mão de semear.

A justiça do futebol estará sempre relacionada com a diferença dos golos marcados sobre os sofridos. O Sporting ganhou, mereceu e nem isso mancha a exibição do Feirense que soube mostrar que quando há qualidade e um modelo de jogo equilibrado, no médio e longo prazo, esses ingredientes serão sempre suficientes para atingir os resultados ao invés do anti-jogo e pontapé para a frente que apenas funcionarão num curto prazo e a espaços reduzidos!

O Sporting volta à competição na Liga Portuguesa no fim de semana de 23 de Setembro com uma deslocação a Braga, mais um teste complicadíssimo à equipa orientada por José Peseiro, que irá opor um dos melhores ataques contra uma das melhores defesas. O jogo promete e o nosso apoio irá ser fundamental!

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Porque não concordo com a expulsão de Bruno de Carvalho!

Sporting 2-3 Rio Ave :: fim de ciclo para Keizer!

A actual Direcção do Sporting deve marcar uma AG para ouvir os sócios. Já!