Vitória SC 1-0 Sporting :: falhou o assalto ao Castelo!




Infelizmente o Sporting perdeu e o jogo resume-se facilmente a uma péssima exibição nossa aliada a uma vontade enorme do Vitória e, claro, a um futebol em prática mais directo e com mais oportunidades de golo. Na realidade, Renan se não tem arrancado uma excelente exibição, teríamos saído de Guimarães com mais 2 ou 3 golos na nossa baliza.

Era um exigente teste ao nosso treinador, todos sabíamos disso, e, sou sincero, nada fazia previa que voltássemos a jogar de forma tão desinspirada como aconteceu na primeira parte. Enquanto o Vitória com 3 passes estava na nossa baliza, a criar desequilíbrios e a ganhar praticamente todas as segundas bolas, nós, obrigados a jogar com os extremos, porque o meio campo está completamente apagado, do lado direito ainda havia (pouco) Diaby, mas do lado oposto, talvez, tenha sido a pior exibição de Jovane Cabral.

Chegar ao intervalo a perder por 1-0, no lance que acabou por ser fortuito, mas como já tinha dito em cima, havia mais querer do Vitória, que acabou por ser decisivo no desfecho final.

Na segunda parte entrou Raphinha com a qualidade que todos reconhecemos. Tem o lance mais perigoso do Sporting em todo o jogo, talvez o decisivo. O Sporting nesses 2 lances do extremo que bem conhece a casa onde ontem voltou aos relvados, mostrou que poderia haver algum Sporting para discutir o resultado.

Não aconteceu!

Logo de seguida, uma decisão acertada do VAR elimina o vermelho a Renan, que curiosamente, esse lance, foi o canto do cisne na cidade dos Conquistadores. O Sporting não mais se encontrou, apesar de maior posse de bola, a equipa estava desastrada a sair para o ataque e a rematar de forma displicente. Engraçado que no aquecimento do jogo, já dentro do estádio assisti a esse momento de treino, os remates, e comentávamos na bancada que eram todos mal executados. 

O Vitória, matreiro, e sempre com jogadores rápidos apontados à nossa baliza, ainda dispôs de mais 3 grandes oportunidades que o nosso guarda redes foi salvando, mantendo a ilusão que poderíamos sair de Guimarães pelo menos com um ponto, o que não se verificou!

O incrível é que num meio campo do Sporting, que se esperaria muito mais para vencer um combativo Vitória, foi Miguel Luís quem acabou por ser o menos pior. Não seria expectável!

De Guimarães, o positivo apenas o regresso de Raphinha e o enorme apoio do Sporting nesta deslocação.

Termino exactamente pelos apoios aos clubes. Todos sabemos que tirando os 3 grandes, há apenas 1 campo onde os da casa "abafam" os adversários quando é para apoiar. Ontem estiveram 27 mil pessoas no Estádio D. Afonso Henriques. A nossa bancada estava cheia de Sportinguistas, o resto do estádio estava lotado de Vitorianos. Na segunda parte quanto mais nós cantávamos, mais eles nos tentavam "calar", e verdade seja dita, em muitos momentos conseguiram-no, porque aquilo é gente que vibra com o seu clube e não se ri das derrotas humilhantes como se nada se passasse. Por isso, desse lado do espectáculo tudo certo!

O problema é que mais uma vez os grupos organizados do Sporting, e muitos adeptos que se juntam a eles por questões de segurança, principalmente os que vêm de fora, entraram no estádio com 30 minutos de jogo, ou perto de disso. É absolutamente ridículo que em 2018 ainda se continuem a tratar os adeptos como animais. O mais grave no meio disto tudo é que isto é assim há anos e a Liga que deveria preservar um dos mais importantes activos do futebol em Portugal, simplesmente se borrifa para eles.

Por fim, Guimarães, cidade que conheço muito bem, por razões familiares e em tempos profissionais, é notável no seu apoio ao Vitória. Será sempre de salutar. O que não é necessário, porque não é isso que os demonstra como um verdadeiro grande no apoio ao seu clube, é continuar-se a viver um cenário de guerra e medo quando pessoas completamente "normais" vão para os seus carros no final do jogo. A cidade, o clube e diria que a maioria clara dos seus adeptos não precisa destes actos.

O campeonato agora vai parar. Sábado há Taça da Liga em Santa Maria da Feira e o grande teste ao Sportinguistas começa agora. Não tínhamos ganho nada, como tenho vindo a alertar, mas também havia ainda muito para conquistar e pelo menos alguma harmonia, simplicidade e ideias de jogo, Marcel Keizer trouxe ao clube, é ao lado dele, que teremos de caminhar porque esta época estava perdida em Maio mas ainda pode trazer algumas alegrias!

Comentários