sexta-feira, 1 de abril de 2011

Respostas de Bruno de Carvalho



No facebook da campanha "Por um Sporting sem complexos", foram colocadas algumas questões sobre os mais recentes acontecimentos ao que o próprio Bruno de Carvalho respondeu da seguinte forma:

"1º Nunca desistirei do Sporting CP!

2º Não fui à reunião porque não reconheço a actual direcção e ainda mais grave não é preciso circo para se fazer uma auditoria, tem é de ser feita por pessoas independentes e externas.

3º A providencia irá entrar esta semana o processo principal de impugnação será colocada de seguida. Este é o processo a seguir.

4º Se os sócios quiserem o processo será muito mais rápido. Eu apenas faço o que está ao meu alcance, que é através dos tribunais.

5º A SAD não tem essa capacidade.

6º As inconformidades são muito graves e se forem vendo os blogues e as proprias explicações baralhadas de Lino de castro já todos perceberam que são mais do que motivos para a nulidade das eleições.

7º A próxima época nunca estará em causa porque a impugnação é sobre as eleições do SCP e não da SAD.

8º As ameaças no nosso clube tornaram-se quase comuns o que é gravissimo e sintomático do que se tornou o nosso SCP.

9º Eu não vou impugnar as eleições porque perdi mas sim porque a verdade não esteve presente nas mesmas. Para mim pessoalmente era muito mais confortável não fazer nada e aproveitar cada deslize: afinal o fundo deles já estava caducado, afinal os jogadores não são aqueles, afinal Baltazar vai para a SAD, etc... Mas ensinaram-me a respeitar o que amo (neste caso o SCP) e a verdade e por isso estou a desgastar-me num processo em que apenas pretendo defender o nosso Clube e os seus sócios e adeptos. 

Eu faço isso por todos vocês e não a pensar no futuro ou em desgastes. Se aceitar uma situação destas como terei cara para um dia me voltar a candidatar a um clube onde aceitei que alguem ganhasse da forma que aconteceu e depois em vez de lutar fiquei descansado a "viver dos meus 36,15%". Para mim pessoalmente era facil nada fazer mas não consigo. Perder ou ganhar é legitimo mas não em processos assim."

5 comentários:

Anónimo disse...

"e se forem vendo os blogues"

esta observação é uma desilusão e levanta-me sérias dúvidas que tenha algo consistente para apresentar.

Uma pena se assim for, mas é o que todo este comunicado indica...

Pedro Varela disse...

É o meu receio também, verdade seja dita, compreendo-o que esteja a responder ao que questionaram no facebook (estas respostas são de perguntas colocadas no facebook), mas não faz sentido falar de blogs. Se vai avançar para a impugnação, que vai, então que o faça com sentido.

E desconfio do que diz do Pedro Baltazar...

Sérgio disse...

Varela,

Tens Blogs onde tens as contas todas das eleições decompostas tudo analisado ao pormenor aliás tiveste por exemplo o "Golpe no Sporting" que antes de ser colocado "A Bola" (e só depois no site do SCP), o nº efetivo de sócios que votaram, já tinhas nesse blog a prova que o nº oficial não estaria correto.

Antes que comecem com bocas do que é que isto prova ... eu respondo prova que nunca foi feita uma verificação do nº de sócios votantes que foram registados nos cadernos de voto.

E como terá sido dito por Lino de Castro a alguns delegados que o nº de sócios era os que estavam registados no sistema informático (depois mudou de ideias).

Este exemplo eu conheço haveriam outros !? não sei.

Aguardemos calmamente pela impugnação e pela decisão em tribunal.

SL,

Anónimo disse...

Eu votei Bruno Carvalho e tudo o que se passou nas eleições deixa no mínimo suspeitas de ter sido um processo limpo. Para além disso não consigo confiar em Godinho Lopes. Mas também que se houver marcha atrás neste processo o Sporting pode ser o grande prejudicado, pelo menos em termos de preparação da próxima época no futebol.

Anónimo disse...

Votei BC! mas depois disto, estamos conversados. Só tenho pena que não repitam as eleições... Bem pode dizer adeus aos 30 e tal% e aos 1500 votantes a mais. E se calhar já está com as próximas eleições queimadas(basta o artolas do GL fazer os mínimos).