segunda-feira, 16 de setembro de 2013

Dois apontamentos sobre o que diz Paiva dos Santos


Dois apontamentos sobre o que este senhor resolveu falar hoje:

1.Coloca os méritos no Guilherme Pinheiro, da KPMG e agora também administrador no Sporting. Se Paiva dos Santos tivesse ido à AG onde foi aprovado o Plano de Reestruturação Financeira, teria assistido ao momento em que o Bruno de Carvalho falou e bem sobre Guilherme Pinheiro e da sua importância em todo o processo.

 2. Deve estar a custar muito a João Pedro Paiva dos Santos ver o Sporting vencer, caso contrário, hoje, estaria calado!

4 comentários:

Doninha Fedorenta disse...

Deve estar a custar muito a João Pedro Paiva dos Santos ver o Sporting vencer, caso contrário, hoje, estaria calado! lol, foi aqui que disses te tudo, nao precisavas de dizer mais nada!

http://adoninhafedorenta.blogspot.pt/

Jalex disse...

Um PER é bem diferente da reestruturação efectuada,e era isso somente que estava em execução(e essa questão nem sequer foi negada pela antiga administração).

É triste quando temos um Sporting forte e quem parece mais incomodado com isso são supostos sportinguistas(mais ate que os próprios rivais).

Este tipo transtorno vejo que existe em sites como o camarote leonino,bancada nascente etc...chega a dar pena sinceramente.

O Sporting merecia melhor da parte de alguns adeptos(que precisam mesmo de rever as suas prioridades).



Ps: Ainda bem que existem blogs como o Bancada de Leão,um verdadeiro bastião de Sportinguismo na internet.

Bancada de Leão disse...

Jalex, obrigado pelas tuas palavras. Mas realmente o que me espanta é ainda haver pessoas que pensem mais nelas, do que no que realmente o Sporting precisa.

Leo Filo disse...

A reestruturação financeira do SCP era um processo em andamento que teria, sempre, de ter o acordo da banca.
O seu desenho e principais pontos foram defenidos não pelo SCP (anterior e actual direcção) mas sim pela banca.
Não é por opção que esta direcção tomou a iniciativa de fazer esta reestruturação (basta ver o que BC prometia nas primeiras eleições a que concorreu), nem o foi quando em janeiro GL se viu obrigado à mesma.
Muitas das medidas que permitiram a redução de custos agora apresentada foram tomadas em janeiro pela anterior direcção.
O SCP estava e continua na mão dos bancos, não há qualquer duvida disso (quem tinha afinal os 25 milhões para terminar a época? onde foi BC buscar esse dinheiro? à banca, porque o não tinha e nunca teve).
O famoso terceiro homem da SAD faz o papel que antes fazia Nobre Guedes, sendo indicado pela ... Banca. Podem chamar-lhe o que quiserem, dizer que foi uma escolha da direcção, mas a verdade é que é o homem de confiança da banca, a quem presta contas e, sem o qual, o SCP não tem o necessário financiamento bancário, porque os 25m mais os 30m nunca apareceram, nem existem. Mas promessas não cumpridas da actual direcção, não há problema...