sexta-feira, 6 de março de 2015

Nacional 2-2 Sporting :: a 90 minutos do Jamor!


Um empate nunca pode ser um resultado positivo, como disse o comentador da Sport TV no final do jogo na Choupana. Certo que as condições em que o jogo terminou, jogámos com 10, não eram as mais favoráveis, mas somos também responsáveis pelo que aconteceu e como aconteceu.

Mas vamos ao que mais interessa num jogo de futebol e neste tipo de desafios. O adversário, a equipa de Manuel Machado, entrou no jogo para disputar taco a taco com o Sporting. Solta, sem preocupações defensivas, é verdade, a equipa do Nacional encontrou em Marco Matias, Lucas João e Luís Aurélio um tridente ofensivo capaz de colocar em sentido uma equipa Leonina alterada, tendo por base os últimos 11 apresentados.

E se na primeira parte não se viram golos, na segunda foram quatro e mais um par de boas ocasiões. O Sporting que com 11 em campo não foi dominador, encontrou na expulsão de Miguel Lopes, injusta, ânimo e força para daqui a um mês, que vergonha esta organização da Taça pela FPF, poder dar um decisivo passo em direcção ao Jamor.



O que gostei do jogo de ontem, Mané e a sua "queda" para a Madeira. Voltou a marcar ao Nacional, no campeonato tinha sido o responsável pelos 3 pontos. Do golo de Tobias e da forma como o jovem jogador aos poucos vai cimentando a sua posição no eixo da defesa do Sporting. Da entrada de Adrien que contrastou com o melhor período do Sporting e que resultou na melhor jogada do encontro e da forma como Miguel Lopes protestou a injusta expulsão, como disse ele na rede social Instagram, "um Leão só baixa a cabeça para beijar o símbolo"!

Não gostei da apatia de Marco Silva, e ontem ficou provado mais que demora a mexer na equipa, e se há adversários em que quando olhamos para o banco do Sporting percebemos que não é fácil agitar o jogo, desta vez, não era uma questão de olhar para o banco, mas pensar que em Lisboa ficaram Gauld ou Wallyson que certamente poderiam ser mais activos que André Martins e até que o cansado e desgastado João Mário, que merecia, certamente algum descanso.

Claro que não gostei do "frango" de Rui Patrício. O guarda redes foi enigmático na forma como tentou justificar o que acabou por fazer, sinceramente, acabou por fazer pior e não tem que dizer nada sobre o falhanço. Da mesma forma que Tobias, batido no segundo golo do Nacional de forma infantil, não veio justificar a sua acção. Mas já sabemos que os guarda redes têm os holofotes apontados de forma diferente.

Por fim, não gostei que Bruno de Carvalho tivesse almoçado com a certos elementos da Direcção do Nacional. Compreendo que a Margarida Camacho, presidente do Nacional não tenha culpa disso e que as relações devem ser boas entre as instituições, mas no mesmo espaço estar o Presidente Honorário Rui Alves, alguém que contribuiu e muito para a degradação do futebol nacional!

Três dias é o que o Sporting tem para descansar e recuperar a equipa na sua plenitude para o próximo desafio, em Alvalade, perante o Penafiel!

quinta-feira, 5 de março de 2015

Coincidências no calendário? O Sporting aceitou isto?


O Belenenses - Sporting jogou-se a 14 de Janeiro, a visita a Alemanha para jogar com o Wolfsburgo aconteceu 5 dias depois, para regressarmos passados 3 dias a Alvalade jogar com o Gil Vicente. Passaram apenas 4 dias para, em Alvalade, voltarmos a jogar com o Wolfsburgo e nem 72 horas depois estavámos nos Dragão para jogar com o Porto. A partida para a Madeira, ontem, e 4 dias separam do próximo jogo com o Nacional para a Taça de Portugal.

O Porto foi à Suíça no dia 18, 5 dias depois esteve no Porto, a sua cidade, para jogar com o Boavista e 7 dias depois recebia o Sporting e 5 dias depois recebe o Braga, jogo que ocorrerá amanhã diante de um adversário que também está na Taça de Portugal. O Porto ainda não jogou a Taça da Liga.

O Braga jogou dia 15 com o Arouca em casa, 6 dias depois jogou novamente em casa com o Nacional, 7 dias depois viajou até Vila do Conde e amanhã, 6 dias depois joga com o Porto no campeonato. Não fez a sua eliminatória da Taça de Portugal.

Coincidências? Não sei e não gosto de me queixar muito do esforço físico. Mas estranho o silêncio do Sporting e a obrigação de jogar todas as competições, importantes, em tão curto espaço de tempo.

Incompreensível!


quarta-feira, 4 de março de 2015

Sossego? O Sporting não tem disso!


O Sporting realmente não tem sossego. Está a terminar uma fase complicada de 6 jogos, na quinta, na madeira, encerra, para já, um ciclo complicado que nos tirou da Liga Europa e deixou com problemas acrescidos no campeonato nacional.

São 4 dias para recuperar do desaire no Dragão, há a boa notícia do Jefferson ser reintegrado pelo pedido de desculpas ao Presidente, e até os juros mais reduzidos que o Sporting paga quando comparando com os outros clubes.

Mas nos jornais, hoje, parece que o clube no final da época vai ficar sem jogadores. De uma assentada só, fala-se de Carrillo para o Porto, Cédric para o Benfica, Mané para o Bétis e William Carvalho para o Manchester United. Bem, esta última notícia está até relacionada com algo que o Nani disse há 4 dias atrás, mas que continua a fazer eco por cá.

No meio de tanto disparate, há algo que me deixa apreensivo e que espero que não seja verdade, o Sporting pede 14 milhões de euros por Carrillo. É que se assim for verdade, e como Pinto da Costa voltou a falar, já que andava calado desde os olés na Taça de Portugal no Dagão, não me admirava nada que ele tratasse de o negociar para o Porto só para chatear o Presidente do Sporting. E o Zahavi certamente ajudaria!

Haja sossego e força anímica no clube para que Marco Silva coloque a equipa a jogar como já o demonstrou esta época. Na Madeira precisamos do melhor Sporting!

terça-feira, 3 de março de 2015

Paulo Pereira Cristóvão não é o Sporting!


Um ponto prévio antes de uma pequena nota sobre o que hoje se fala deste caso. Quando Paulo Pereira Cristóvão se candidatou contra José Eduardo Bettencourt, fui apoiante do JEB, no entanto, devo reconhecer que, quando morámos tão longe de Alvalade por vezes é complicado conhecer-se melhor as pessoas. O que sabia de PPC era pouco e na altura, apesar de perceber que nunca iria ganhar as eleições, gostei do que ouvi. Enganado nunca me senti, mas não escondo o que penso em cada momento.

Concretamente sobre o que hoje se ouve e lê, começar por dizer que o Sporting "despediu-o" imediatamente a se ter percebido que por iniciativa própria e até de uma forma pouco assertiva, meteu-se em trabalhos que são característicos de outras paragens que não o Sporting Clube de Portugal.

A atitude do Sporting foi exemplar e deixa, ao denunciar a situação, pelo menos na forma como foi tratada, os adeptos estão de consciência tranquila. Estaremos sempre tristes por ver o nome do clube misturado com estes episódios que em nada tem a ver connosco.

Quanto ao chefe da claque que está envolvido neste episódio, da sua vida pessoal nada tenho a ver com isso. 

Posto isto, o PPC já agora, antes de vice presidente do Sporting já era conhecido pelo que fez como inspector, como comentador de televisão de certos casos, da Maddie e por aí fora, não queira a comunicação social fazer passar algo que não é real.

Que sigam os trâmites legais e que depois o Sporting tome as medidas que achar necessárias!

A homenagem a Pedro Proença!


O Sporting, com esta Direcção, tem promovido a discussão do estado do futebol português. Goste-se ou não do estilo de Bruno de Carvalho, têm sido apresentados documentos com propostas, ideias, resoluções, para que a melhoria do futebol português seja uma realidade.

Claro que é mais fácil criticar o actual Presidente, seja pelos excesso de comunicados, pelo blackout (que não concordei), pela guerra aos fundos, pela disciplina e rigor impostos em Alvalade e por aí fora, mas não se quer ver o que verdadeiramente interessa quando falamos da maior competição nacional: a arbitragem!

Não há dúvidas que os que mais podem reclamar das arbitragens nos últimos 30 anos são os pequenos clubes. Juntos terão sido os mais prejudicados, mas é também verdade que raramente fazem algo para que isso seja alterado. Apenas e só vão-se colocado ao sabor do vento consoante os favores que lhes vão sendo feitos.

Quando a história chega aos três grandes, e repartindo os "favores", é óbvio que nesse mesmo período temporal o Sporting é largamente o menos beneficiado. E sinceramente, o que mais gostava é que nunca tivesse sido beneficiado.

Daí que não me espante muito que o tenhamos homenageado o árbitro que mais se tem destacado nos últimos anos em Portugal, o benfiquista Pedro Proença.

Nem fui ver se este árbitro nos prejudicou muito ou pouco, e nem isso me interessa muito, o que devia ser importante nesta altura era perceber o que vão os clubes fazer para que a arbitragem em Portugal evolua na direcção do profissionalismo. Ainda no domingo, num clássico sem casos, um árbitro jovem que carrega no seu adn o passado que não se quer ver repetido, fez aquilo que deveria ser natural e exigido por todos. 

O que deveria preocupar todos os clubes era a luta pela tal verdade desportiva, não a demagógica que todos os dias se escreve e fala por aí, mas a das medidas concretas que deviam abranger tudo e todos, desde o Presidente da APAF até ao mais pequeno clube dos escalões inferiores, onde aí sim, tanto se passa e raramente é falado.

Homenagear Pedro Proença e outros árbitros não devia ser uma surpresa, mas sim um acto normal como quando se celebra a carreira de um grande futebolista ou treinador!

segunda-feira, 2 de março de 2015

Porto 3-0 Sporting :: desastroso!


O Sporting esteve 15 minutos no Dragão. Virou as costas e "deixou" o campo. O Porto jogou sozinho e os adeptos Leoninos, em bom número, foram os únicos representantes do Leão Rampante!

Foi um péssimo jogo da nossa equipa e não pode servir como desculpa o cansaço. Todos os anos se ouve esta lenga-lenga, que, por acaso nunca consegui utilizar como desculpa na minha vida profissional. 

Foram três questões essenciais que levaram a que o Sporting fosse derrotado sem apelo nem agravo:

1. Bloco subido e descontrolado do Sporting, sem nunca conseguir suster o ímpeto do Porto e o controlo de bola do adversário. Os passes nas costas foram inevitáveis;

2. As perdas de bola do nosso meio campo na construção de jogadas, de principiante os erros cometidos, que contrastou com a calma e serenidade do Porto na consolidação do seu jogo a partir dessa zona do terreno;

3. Os erros individuais de alguns elementos do Sporting, Adrien irreconhecível, demorou demasiado tempo a ser substituído, e claro, a dificuldade que Marco Silva tem em mexer. No fim de semana passado quando ia mexer o Sporting marcou, ontem com dois jogadores na linha prontos a entrarem, sofremos.

A ideia que já tinha falado há uns dias sobre a dimensão da equipa, ontem mais uma vez ficou comprovada, a equipa do Sporting é curta e são 14/15 jogadores para atacar diferentes e variados objectivos. 

As substituições são sempre as mesmas, sofríveis em alguns casos. A culpa não é apenas de Marco Silva que podia promover Wallyson ou Gauld, já que com André Martins ou Capel o sistema de jogo é sempre o mesmo, e para assistirmos ao jogo de ontem, pelo menos havia algo novo para avaliar.

Claro que a Direcção tem de reavaliar o que foi contratado no verão e no mercado de inverno, pois, está à vista que não foi suficiente em qualidade. Leonardo Jardim no passado conseguiu um objectivo que parecia impossível, mas não nos esqueçamos que o Porto na época passada quase não existiu.

Recuperar emocionalmente é a etapa que se segue porque isto não pára e na quinta há um encontro decisivo para vencer na Madeira!

domingo, 1 de março de 2015

No Sporting B as melhorias são uma realidade!


O Sporting B não tem tido uma época fácil. O início do campeonato foi arrasador, as alterações na equipa técnica muitas e por vezes sem se perceber as verdadeiras razões. A crítica foi sempre fácil e o culpado apenas e sempre Bruno de Carvalho.

A viragem do ano trouxe novas alterações, mas não foi fácil. Quando João de Deus foi anunciado como novo treinador da equipa B, em Outubro de 2014, eram poucos os que acreditavam ser possível que a equipa realmente pudesse mostrar o que valia.

Os resultados não ajudaram. Em novembro o Sporting B não vencia nenhum jogo para o campeonato da II Liga, em Dezembro pequenas melhorias, com a vitória sobre o Porto B, mas o início do ano logo trouxe 2 derrotas consecutivas: Marítimo B e Benfica B e um empate com o Braga B. Em 3 jogos com equipas da "nossa dimensão" nem uma vitória.

Mas a equipa estava em crescendo e isso notava-se. Muitas alterações principalmente ao nível defensivo, o Sporting B sofria muitos e estúpidos golos, e aos poucos constituía-se um 11 base com jogadores pilares para esta equipa.

O 25 de Janeiro marca o princípio de 8 jogos com apenas 1 derrota, diante do Aves, e 2 empates diante dos 2 líderes da II Liga, primeiro Chaves e depois Freamunde. Pelo meio vitórias sobre Portimonense, Beira Mar, Santa Clara, Olhanense e Farense.

Não faço ideia em que lugar vai terminar o Sporting B na II Liga e sinceramente não é isso que me preocupa. Agora quando hoje vi mais uma vez a equipa jogar olhei para o plantel e pensei que estes jogadores bem trabalhados, com a calma e a paciência necessária, numa política desportiva de preparação para os colocar na equipa principal tem de funcionar. Assim o tempo os ajude!

Gelson, Palhinha, Wallyson, Gauld, Dramé, Sacko e Rubio podem ter uma palavra a dizer em breve. É isso que se espera de João de Deus enquanto principal treinador da equipa B, isso e que os adeptos do Sporting percebam que não vale a pena criticar todos os dias na hora da derrota, com história da carochinha principalmente de quem lá queria estar e apenas tenta ser um jornaleiro de segunda categoria, e na altura em que se vê algum trabalho positivo nem uma única palavra. 

Há muito a fazer na Academia e eu, que apoiei a lista de Bruno de Carvalho, continuo a ter muitas dúvidas do papel de Virgílio da estrutura do futebol leonino, mas vejo que a Direcção não fez orelhas moucas e encetou alterações importantes na equipa B e nos emprestados. Já agora, Chaby e Enoh marcaram hoje pelos "seus" clubes!

O Sporting B é uma importante peça da engrenagem do actual Sporting numa política de rigor orçamental. É isso que todos temos de perceber!

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Sporting 0-0 Wolfsburgo :: insuficiente!


Os 23 mil que estiveram em Alvalade merecem todo o meu apreço por eles. Viver as noites europeias, seja na vitória ou na derrota, é um algo que eu, por estar tão longe de Alvalade, não posso desfrutar com a regularidade que gostaria. A importância destes jogos para quem gosta de futebol é absolutamente crucial!

Não entenderei nunca os que saem do jogo antes do tempo. É certo que a eliminatória estava perdida, mas nunca é demais recordar o que por exemplo fez o United ao Bayern em Camp Nou. E já agora, não custa ficar até ao final e agradecer à equipa pelo esforço, ainda que inglório. Às tantas se fosse para assobiar, alguns dos que saíram, até ficavam mais que o normal.

O merecer é sempre um verbo que não faz muito sentido no futebol. As vitórias são golos e não oportunidades, a eliminatória teve 180 minutos e na segunda parte na Alemanha fomos muito inferiores. Mas já que falamos de méritos, ontem a vitória era justa para nós, a eliminatória para eles. Benaglio foi o elo desequilibrador!

Do jogo não vou referir as excelentes exibições de Cédrc, William, da disponibilidade de Tanaka, que não teve uma pontinha de sorte, dos desequilíbrios de Carrillo e das fantásticas actuações de Tobias Figueiredo ou Paulo Oliveira. Não vou falar porque para mim há que evidenciar Marco Silva.

O Sporting se formos realistas tem 14 jogadores (mais coisa, menos coisa) que são regulares e nos dão garantia de qualidade futebolística. Com um orçamento mais baixo, contenção no que se pode gastar, o futebol que a equipa liderada pelo nosso treinador apresenta é muito bom, mas muito curto para grandes vôos.

Aliás, os últimos 2 treinadores que tivemos à frente dos destinos do clube, são provavelmente o melhor que tivemos na última década e...

Marco estava desanimado no final do jogo, mais um empate. Os empates têm sido os resultados que nos colocam fora de todas as competições. No campeonato, com excessivo resultado que fizemos em Alvalade, na Liga dos Campeões com aquele que tivemos em casa do Maribor e até na Taça da Liga diante do Vitória FC. Faltam soluções e é aí que a Direcção vai ter de actuar no próximo ano. Certeiro. É sempre complicado a baixo custo comprar com qualidade, mas há que reformular todo o critério em torno das compras.

Marco desconsolado após o apito final, reconfortado por Bruno de Carvalho no final do jogo.

Marco é para ficar, não há melhor opção à frente dos destinos do Sporting!

Certamente não terá vida facilitada porque o Sporting efectivamente terá apenas uma competição que ainda pode ter sucesso: Taça de Portugal. O estado de graça vai chegar rapidamente ao fim e no ápice as críticas vão subir de tom. Mas é preciso ver mais do que no imediato!

Termino referenciando este vídeo incrível de um adepto (?) do Sporting que após o jogo de ontem diante do Wolfsburgo se refere ao clássico do Dragão onde prefere a derrota do nosso clube para atrasar a vida ao velho rival. Isto não é de Sportinguista, e fiquei muito contente ao ver que o vídeo sendo partilhado nas redes sociais teve a reacção que se esperava: os Sportinguistas não se identificam com este tipo de atitudes!

Em qualquer circunstância um Sportinguista quer sempre que o Sporting Clube de Portugal vença os seus jogos. E agora venha o Porto!