sábado, 27 de maio de 2017

Sporting vence a Taça Challenge


O Sporting acaba de conquistar a EHF Challenge Cup em andebol. É a segunda da sua história e é uma prova que o andebol do Sporting está bem e recomenda-se.

Parabéns em primeiro lugar ao Hugo Canela, porque teve a missão complicada de recuperar uma equipa perdida por Zupo, aos atletas e dirigentes e em particular ao Hugo Malcato.

É o 25º troféu europeu conquistado pelo Sporting Clube de Portugal!

segunda-feira, 22 de maio de 2017

Sporting 4-1 Chaves :: Insubstituível? Só o Sporting!


Fechou a época 16/17 muito, mas mesmo muito abaixo das nossa expectativas. O balanço final farei noutro post mais adequado a esse tipo de análises, mas é óbvio, para todos, que foi um desastre o que se passou com o futebol profissional sénior masculino.

A prova que os dois jogos anteriores foram autênticas machadadas no coração dos adeptos, foi a fraca assistência que Alvalade registou ontem diante do Chaves. Claro que é muito bom poder dizer que foi uma assistência fraca quando tivemos 32 mil num jogo em que (quase) nada interessava. Digo quase, porque a vitória é sempre importante e Bas Dost ainda lutava para ser o melhor marcador da Europa.

É por Bas Dost que começo. Foi, provavelmente, a compra do século. A par de Gelson, o melhor da Liga Portuguesa nas assistências, que foram 10, não há dúvidas que os dois jogadores estiveram bem acima de todos os colegas de equipa. 

Espero que o Holandês possa continuar no Sporting numa equipa que garanta outra coesão defensiva. Jorge Jesus tem pela frente esse trabalho importantíssimo de colocar a defesa do Sporting a níveis que já tínhamos conseguido e são vitais para se conquistar um título de campeão nacional.

Aproveitando o facto de estar a falar da defesa, não percebi e não aceito a tarja que colocaram nas bancadas direccionada a Rúben Semedo. Podemos discutir se tem ou não valor para o Sporting, mas em campo, com a nossa camisola, a regra básica de apoio diz que não é com estas atitudes que eles vão melhorar. Pelo menos durante os 90 minutos em que envergam a camisola do Leão Rampante!

Quem fala dessa frase, fala também de uma outra que apareceu, e ilustra este texto, sobre os insubstituíveis. Foi retirada porque não foi colocada por um grupo organizado e legal. Sinceramente, não compreendo que um recado desta natureza não possa ser mostrado. 

Aos que dizem que podem ser um tiro no pé, eu respondo que no Sporting sempre fomos democráticos e informados ao ponto da liberdade de expressão não ser crucificada. Nisso somos muito superiores a qualquer um dos nossos adversários.

Da mesma forma que aceitamos e percebemos que as claques, sob forma de protesto, estiveram 20 minutos iniciais do jogo completamente em silêncio. Fez sentido porque os adeptos do Sporting responderam e têm respondido nestes últimos anos, a todos os apelos da Direcção para marcar presença em Alvalade e nos diferentes estádios pelo país fora, e os jogadores/equipa técnica, principalmente este ano, não responderam com a atitude necessária para um clube com a nossa história e dimensão!

Quanto ao jogo não há muito para dizer, foi uma vitória fácil. Mas há que destacar três pormenores importantes.

Primeiro, o hat-trick de Bas Dost que ainda alimentou o sonho de passar Messi na luta pelo marcador da Europa. Era um prémio merecido para o nosso atacante. 

Em segundo, entrámos em campo com 8 jogadores da formação, sendo que alguns já mostraram que a titularidade é um passo óbvio.

Em terceiro, e importante para a gestão da próxima época, se não há contrato vitalício para Rui Patrício, algo que para mim já poderia ter acontecido e o Rui terminava a carreira no Sporting com importante acção pedagógica na Academia, pelo menos sabemos que estamos bem posicionados com o Beto para o substituir. Fica a dica!

Venham as férias para os jogadores, todos têm direito a esse momento, não há desculpas para próxima época. Pensem nisso!

domingo, 21 de maio de 2017

Sporting é campeão nacional de Futebol Feminino!


É o primeiro título em 15 anos conquistado pelo futebol sénior do Sporting. As Leoas, uma fantástica equipa de futebol feminino, conquistaram no ano de regresso da modalidade ao clube, o título de campeãs nacionais. Brilhante!

A odisseia de ontem pelo campo do Inatel valeu pelo campeonato, obviamente, mas também por tudo o que se foi feito em torno deste jogo.

Há umas semanas atrás, quando se percebeu que o Sporting poderia ser campeão em nacional na cidade invicta, aqui bem perto de mim, do João e do Zé, a equipa do Sporting160 lançou o desafio de marcar-se um almoço para que todos nos pudéssemos conhecer, a quem vai ouvindo o programa, a quem vai falando pelas redes sociais, aos que estão mais longe. Um pretexto mais que natural para um encontro Leonino cheio de boa disposição e histórias maravilhosas.

As coisas foram começando a ganhar dimensão. No Sporting160 desde cedo demos o destaque, mais que natural, ao Futebol Feminino do Sporting. Já lá passou a Inês Pereira, a Rita Fontemanha, a Raquel Sampaio e, claro, a Catarina Barbosa da Página de Apoio ao Futebol Feminino Leonino. 

A este apelo, o Luís Martinho começou a preparar a deslocação a partir de Lisboa. Uma, duas, três pessoas até que ontem chegou ao restaurante marcado com uma camioneta cheia de adeptos fantásticos para apoiar as nossas Leoas. 

Um bem haja à família da Ana Capeta, que simpatia, ao Pai da Inês Pereira, e obviamente a todos os que foram preenchendo o almoço que, como não podia deixar de ser, foi organizado com a ajuda do Solar do Norte. Sempre incansáveis a servir os Leões no Norte de Portugal. Porque o Sporting não é de Lisboa.

Mas há mais menções honrosas e que a mim me encheram de orgulho fazer parte desta família. O Manuel não se esqueceu do ovos moles. No derby contra o Benfica em Lisboa tinha-lhe perguntado por tal iguaria, e ontem lá estavam as caixas da Peixinho.

O Gonçalo...o Gonçalo...o Gonçalo veio de Madrid para ver o jogo. Não é preciso dizer mais nada. Vénia!

A Ana Garzin infelizmente não pôde marcar presença, mas foi importantíssima na divulgação do evento.

O Henrique que tem a barba mais icónica do universo Leonino, que espero que no dia em que a cortar fique exposta no Museu. Deu-me uma lição de futebol feminino. E depois o Parvo!

Chegou perto de nós e disse, "Olá, eu sou o Parvo da Vida". Provavelmente, a melhor introdução de sempre na história de encontros de malta que só se conhecia pela internet. Obrigado Nuno, foi um prazer conhecer-te.

E mais que, certamente, me estarei agora a esquecer, mas que certamente um certo condutor de carro, daqueles que é mau e sai do carro para bater nos outros, meteu o rabinho entre as pernas e não se esquecerá mais do dia em que o Sporting foi campeão nacional em futebol feminino.

O jogo foi a história que todos já sabemos e imaginaríamos que iria acontecer. O Sporting marcou cedo, acabou com o nervosismo natural das jogadoras, e partiu para uma goleada sólida. A Diana até marcou um golo à Alan Ruiz. Ainda deu tempo para a Ana Capeta entrar, ouvir um "E a Capeta vai marcar" (a la Tanaka) e, claro, a Capeta marcou. Duas vezes. A Tia e a Mãe, que simpáticas apoiantes, estavam felicíssimas.

Cantou-se O Mundo Sabe Que quando as equipas entraram no relvado, fica a nota, iniciado pelo grande Manuel, que vozeirão.

Uma palavra de enorme desportivismo para as jogadoras do Boavista que ficaram até à entrega da Taça pela FPF ao Sporting.

Por outro lado, num dia em que o Boavista organizava três jogos com algum risco, ainda apareceram alguns adeptos que queriam estragar a festa mas não conseguiram.

No final festejou-se um título, sem espinhas, com entrega da Taça pelo Fernando Gomes. As jogadoras do Sporting fizeram questão de subir a bancada e entregar a Bruno de Carvalho, afinal de contas, o responsável pelo regresso vitorioso desta modalidade.

Foi um festa do caraças e que em breve poderá repetir-se pois o Sporting vai defrontar o Braga no Jamor na discussão da Taça de Portugal.

Vamos Sporting!

quinta-feira, 18 de maio de 2017

Vem apoiar o Futebol Feminino do Sporting


No próximo sábado, pelas 16h no campo do Inatel, o Sporting irá defrontar o Boavista naquele que poderá ser o jogo do título de campeão nacional do Futebol Feminino Leonino.

O Sporting160, a Página de Apoio do Futebol Feminino do Sporting, o Luís Martinho e o Solar do Norte, juntaram-se numa iniciativa para levar o maior apoio possível ao jogo.

Ainda é possível reservar o lugar no almoço convívio que vai haver antes do jogo no site do Solar do Norte.

As Leoas do Sporting merecem todo o nosso apoio!

domingo, 14 de maio de 2017

Feirense 2-1 Sporting :: por favor, calem-se!


Um adepto Sportinguista, como eu e tantos outros, vive o clube muitas vezes de forma irracional. A semana passada foi dura, porque contava vencer ao Belenenses e mantinha a esperança de chegar, quem sabe, ao segundo lugar.

Perdemos de forma miserável. Uma equipa sem atitude, sem garra. As desculpas vieram pelos senhores do costume, algo que nos últimos anos não estou habituado, com esta Direcção. Não me conformei, fiz algumas críticas, mas não foi fácil digerir uma derrota e preparar o fim de semana seguinte para mais uma deslocação aqui perto de mim.

De certa forma o Feirense quase me fez um favor ao colocar o bilhete a 20 euros. Mas a reacção é sempre a mesma, "filhos da puta querem ganhar dinheiro sempre à custa dos adeptos do Sporting", e depois durante a semana o bichinho vai crescendo e lá se faz mais um sacrifício, até que percebes que a tua mãe faz anos e tens de ir jantar lá a casa no sábado à noite. Problema resolvido!

Sábado de manhã acordo para um Dia de Sporting em que, previsivelmente, o futebol era o que menos importava. O futsal em Gondomar contra o Benfica, para a Taça, os juniores diante do Benfica em Alcochete, o andebol contra o Porto e só depois o jogo do campeonato nacional. Tudo transmitido na televisão!

Telefone a tocar e bilhetes para o futsal e o futebol em Santa Maria da Feira. Não dava, as unhas iam ser roídas em casa, onde se sofre muito mais. 

Das 15h às 22h foi sempre em frente ao computador e, algumas vezes, à televisão. Pelo meio uma pausa para respirar fundo quando decorria o andebol, e à hora do jantar o computador ao lado da mesa para não perder nada do que se iria passar em Santa Maria da Feira.

Não correu nada bem o dia, mas não podemos meter tudo no mesmo saco, e o que vi ontem foi uma crítica generalizada aos atletas do Sporting. 

Nós queremos sempre que o Sporting vença, nem dúvidas disso há. O futebol não tem feito por isso e há 15 anos que falhámos esse objectivo, já as outras modalidades vão sendo atenuantes para a frustração que vem, quase sempre, do mesmo lado.

O futsal está a sofrer de um medo cénico contra o Benfica que não se percebe. Em 4 jogos não os conseguimos vencer, apesar da incrível fase regular que fizemos. Nada está perdido no campeonato, mas a nível interno era para limpar tudo. Já não vai acontecer. 

Depois ainda vimos os juniores sofrerem o golo do empate aos 92' diante do Benfica. No entanto, e vi muitos anormais a criticarem os nossos rapazes que, por acaso, mantêm 6 pontos de avanço quando faltam 3 jornadas para terminar a prova e no próximo fim de semana já podemos ser campeões.


Seguiu-se o andebol. 

É, provavelmente, o desporto onde o Sporting entra que me deixa mais nervoso. Desta vez, e porque no jogo do Dragão tive alguns sobressaltos, decide também acompanhar outra máquina.

Precisávamos de vencer por 3, no mínimo por 2 e podíamos ser campeões a depender apenas de nós. Fizemos um grande jogo, foi um grande jogo contra uma grande equipa. Cometeu-se um erro estúpido a 5 segundos do final, isso dá que pensar como uma equipa destas é tão fraca psicologicamente. Às tantas não é difícil explicar tendo em conta o treinador que foi escolhido no início da época e o que se tentou remendar a partir daí.

Gorou-se a oportunidade de trazer de volta o título para casa, embora ainda possível, mas não consigo colocar o Andebol, Futsal e o Juniores no mesmo que o futebol!

O pior, em termos exibicionais, ainda estava para vir.

O estádio Marcolino de Castro não estava cheio. Obviamente, os adeptos Leoninos não entraram na loucura dos preços dos bilhetes praticados pela equipa da casa. Ainda por cima para ver, apenas, uma equipa a jogar.

O Sporting até esteve a vencer por 1-0, e vencer era o consolo para uma viagem que iriam fazer de Porto a Lisboa com a festa pela cidade com o Benfica (tetra)campeão. Incrível, isto só podia acontecer ao Sporting. 

Mas a cabeça, de quase todos, estaria por esta altura na praias fantásticas das férias de verão, nos resorts esplenderosos para as selfies e instagram stories, que têm direito, mas, depois de, no mínimo, serem profissionais dentro de campo. 

Aliás, se eu fosse o Gelson, Bas Dost e o Patrício, abandonava o Marcolino de Castro e preferia ir para o hotel ver a vitória do Salvador, a primeira de sempre de Portugal no Festival da Eurovisão.

O Sporting na época passada perdeu o título e lutou até à última jornada. Jornada essa que foi em Braga e estava um ambiente incrível de apoio. Não havia nada a dizer, só um pode vencer no final. 

Mas pelos vistos, pedir desculpas no Facebook é o novo "levantar a cabeça".

Na semana passada pedi silêncio. Silêncio para todos que têm de preparar a próxima época e, pelo menos, terminar esta de forma digna. 

Já nos bastou o episódio teatral do encontro no hotel entre direcções de comunicação, o ridículo comunicado, os ataques de Bruno de Carvalho aos adeptos do Sporting que não aceitaram que ele falasse à CMTV, principalmente após uma derrota (sim, o programa foi gravado, mas há formas de evitar tal cenário) e agora um jogo miserável, frustrante e que, provavelmente, não terá consequências.

Sinceramente, não sou de abandonar o Sporting nunca. Mas a última jornada em casa contra o Chaves merecia uma tomada de posição forte. Um estádio vazio era muito interessante, mas sou tentado a pensar que um estádio cheio de Alvalade, para mostrar que os adeptos nunca falham, calado durante 90 minutos era um sinal claro para quem anda a falar muito numa altura que se pede silêncio e trabalho!

quinta-feira, 11 de maio de 2017

Breve reflexão sobre o comunicado do Sporting


Em junho de 2013 o Sporting cortou relações com o Porto. O que disse na altura, mantém-se e foi algo como isto: "Não sou favorável, por norma, ao corte de relações entre os clubes. Não é isto que nos vai trazer títulos, taças, melhor futebol. Não!"

Mas nesse dia também acrescentei o seguinte, o corte vem tarde. 

O corte foi um aviso, principalmente com maior enfoque para o Sportinguistas que para os outros. 
Continuar a discutir isto não serve mais do que para encher os jornais de notícias e boatos. Foi bem aplicado.

Quem quer respeito tem de saber respeitar e o Porto nos últimos anos não o tem feito!

Claro que eu desejo e defendo que os clubes, todos sem excepção, devem manter relações institucionais. A não se que algo muito, mas mesmo muito grave aconteça entre eles.

O Sporting teve um encontro que não foi privado. Pois, caso assim o pretende-se, a reunião entre Directores de Comunicação dos dois clubes realizaria-se noutro local. 

O Sporting podia relatar as relações com o Porto, não desta forma, principalmente na semana que antecede a conquista do tetra pelo Benfica. 

O Sporting não deveria ter escrito aquele ponto 4 no seu comunicado. A mim, enquanto Sportinguista, envergonha-me o que lá diz. Não se confunda com outra coisa qualquer, eu tenho um enorme orgulho em ser Sportinguista.

O Sporting devia, nestas última jornadas, remeter-se ao silêncio. Analisar, internamente, sem ruído o que passou nesta época e de que forma vamos reaparecer em 2017/18 mais fortes como recentemente já aconteceu.

O Sporting verificou que há caminho que pode e deve ser feito em conjunto, considerando que é muito mais aquilo que nos une do que aquilo que nos separa, mas esse caminho deve ser feito com os seus adeptos e não com o Porto.

As questões de fundo sobre o futebol nacional não se discutem só com o Porto. Um clube que dominou o futebol português durante 30 anos da forma que todos sabemos e combatemos para terminar.

O Sporting, e reforço esta ideia, deve remeter-te ao silêncio e reflectir que sobre os dois jogos que ainda há para ganhar, bem como os títulos no futsal, andebol e por aí fora que há para conquistar.

O Sporting é isto e somos nós!

terça-feira, 9 de maio de 2017

Voz dos Leitores #2

O jogo do passado domingo deixou marcas nos adeptos Leoninos. Basta ler os diferentes textos que vão aparecendo estes últimos dias pelas redes sociais para perceber isso. Noutros projectos que estive envolvido era natural colocar textos escritos a partir dos comentários que iam sendo feitos no blogue, neste ainda cheguei a começar mas não passou do #1.

O Alessandro Silva enviou-me o seguinte texto que decidi compartilhar com todos.

"7 de Maio de 2017, data em que possivelmente se fez história no futebol português: o Benfica tornou-se tetracampeão. Um feito que apenas Sporting e Porto tinham alcançado. Mas não estou cá para falar de um título conquistado pelo rival. Estou aqui para fazer uma reflexão de (mais uma) uma época falhada a nível do futebol do Sporting Clube de Portugal. À beira do 111º aniversário, 18 campeonatos e 15 anos de jejum. Enfim mais uma época em que os milhões de Sportinguistas dizem "Para o ano há mais".

Para o ano há mais? Chega desta conversa de conformismo e falta de ambição por parte dos Sportinguistas. É certo que nunca fomos um clube que ganha sempre, ultimamente até é "raro" ver o Sporting ganhar algum campeonato. Mas adiante. O estado a que tu chegaste, meu Sporting. Não é por um simples 3-1 em casa contra o Belenenses (!) que já não vencia em nossa casa há cerca de 60 anos. Não é por isso. É pelo culminar de uma situação insustentável.

Fizemos dos maiores investimentos de sempre para tentar chegar ao tão sonhado título que vimos escapar em nossa casa o ano passado. A cada semana era cada nome mais sonante nas capas dos jornais e sucediam-se contratações atrás de contratações. Vimos partir dois esteios da nossa campanha do ano passado (João Mário e Slimani) mas em contrapartida veio Bas Dost, a maior contratação do nosso clube. E que contratação! Logo na pré-época parecia que já se previa o pior. A preparação tardia do plantel e as contratações forçadas de última hora aliado aos desastrosos resultados e à quebra de rendimento da equipa não eram cenários muito animadores. 

Tínhamos o melhor plantel da história do Sporting, diziam os entendidos. Trouxemos Markovic, fizemos regressar Elias, apostamos na continuidade de Adrien e quando o campeonato começou parecia que a equipa tinha ganho vida. A campanha do ano anterior parecia começar a repetir-se. Até que fomos a Madrid. E aí tudo começou. 80 minutos fantásticos contra o campeão Europeu e perder nos descontos. INJUSTIÇA! Contra o Rio Ave começou o descalabro e sucedeu-se uma primeira volta ao nível do "tempo do Godinho". Péssimo! Chegamos a Dezembro e parecia que já nada poderíamos conquistar. Fracasso nacional e fracasso Europeu. Tentámos recuperar a equipa e nada dava certo. Dispensámos excendentários e chamamos os "nossos" para resolver uma situação que parecia irremediável. Chegámos ao Dragão e fomos surpreendidos por um tal de "Soares" e por lá ficou o sonho de campeão.

A equipa já sem ambições para nada recuperou-se e fez do Dragão uma pagina de viragem. Sporting invicto na época 16/17, uma coisa que parecia impossível. Fomos aproveitando os deslizes dos adversários e ganhando terreno. Hoje poderíamos ter ficado apenas a 3 pontos do 2º lugar. 
Falhámos. Falhámos porque para este grupo parece que já não há nada para ganhar. Amadorismo, falta de ambição, conformismo com a situação. O Sporting de hoje em dia já não é o Sporting que tinha nos seus capitães a sua força e a sua garra. Homens como Beto, Sá Pinto na história mais recente transbordavam Sportinguismo em estado puro.

Hoje em dia os nossos capitães, ambos campeões europeus, grandes jogadores e péssimos líderes. William de Carvalho e Adrien Silva são de longe dos melhores jogadores que o nosso plantel tem mas essa forma desligada, quase desacreditada e sem compromisso quando carregam a nossa braçadeira é algo que me perturba. 

Como se costuma dizer "são anjinhos" e é exatamente para eles que endereçaria esta pergunta: "Vocês querem estar neste clube?" É que me parece quanto a um quanto a outro estão totalmente desligados do clube e querem sair. Se o querem, que saiam e deixem os cofres do Sporting bem recheados. 

Grandes futebolistas, péssimos líderes e o espelho do conformismo Sportinguista. Vocês (jogadores do plantel de futebol) sabem o que é o Sporting? É que muitas das vezes esquecem-se de onde estão. Mas esta mentalidade do "deixa andar" e do contentar-se com tudo já se instalou há muito no nosso clube. O ano passado é o reflexo disso. 

Depois de um campeonato perdido por nossa culpa, centenas de adeptos deslocaram-se a Alvalade para receber a equipa. O que é isto? Na minha opinião, um sinal de pequenez, de conformidade por mais uma derrota. Os mesmos que foram culpados pela derrota foram tratados de como se campeões se tratassem. "Vocês querem continuar neste clube?" Seria outra das perguntas que faria ao plantel porque só interessa quem cá está e quem quer realmente estar.

Mas um campeonato não se ganha apenas nas 4 linhas. Há fatores hoje em dia que são determinantes e o nosso clube está atrasado relativamente à concorrência. Mentalidade e estrutura. Mentalidade é o que nos falta. Mentalidade de campeão, ADN de campeão. E é da bancada que tem de vir esse primeiro passo para a construção dessa identidade vencedora e ambiciosa que o nosso clube merece ter. Temos de querer ganhar sempre, custe o que custar, temos de ambicionar sempre mais. Chega de vitórias morais. Olhemos para dentro e vamos tratar de arregaçar as mangas e começar a trabalhar.

O Sportinguista tem de exigir, tem de cobrar e tem de ambicionar sempre mais à sua equipa seja contra quem for e não se esconder em conformismos. 

Onde andam aqueles que faziam esperas ao autocarro e mostrar o seu descontentamento após cada resultado negativo? Temos de nos revoltar e não nos conformarmos contra empates e derrotas. Quando as coisas não estão boas há que protestar e mostrar o desagrado e não esperar que a resolução do problema caia do céu. 

Do plantel pede-se o mesmo. Vontade de vencer, determinação, ambição e garra. No nosso campeonato, não basta jogar bem. Temos de querer mais que todos e mantermos o foco no que realmente interessa. Olhemos para o nosso rival que não apresenta um futebol vistoso mas que se nota que todos remam para o mesmo lado e ambicionam o mesmo. Adrien e William são homens da casa mas não serão homens para comandar 10 colegas de equipa (no caso de William de Carvalho). 

Olho para o 11 inicial e vejo Coates como um verdadeiro líder para esta equipa, por exemplo. Assumir os erros e deixar as manias de lado. Este plantel tem muito "bons rapazes" que quando perdem basta chegar a casa e publicarem mais uma fotografia nas redes sociais que está tudo bem. Sinto que somos "gozados" por este plantel semana após semana pelos jogos que fazem e pela atitude. Há que "correr" com as vedetas e com os que não querem cá estar!

Por parte da equipa técnica mais trabalho, melhor preparação das épocas, melhores escolhas para o nosso plantel e olhos no que realmente interessa. De nada interessa os "mind games" quando não disputamos nada. De nada interessa andar semana após semana numa troca de palavras com outros treinadores. Chega de falar do rival, olhos em nós e no que realmente interessa. E a Jorge Jesus, mais humildade e menos casmurrice. Dar o corpo às balas quando erra não era mau de todos. Quanto à direção, está na hora de mudar. 

Mudar para melhor, ou seja, para pessoas que saibam o que é o Sporting, que conheçam os valores do clube e que tenha ambição em vencer. Chega de Otávios e Saraivas. Chega de falar do Benfica. É necessário denunciar as ilegalidades e a podridão que se encontra no nosso futebol sem desviar o foco e sem nos perdermos em comentar a vida do vizinho quando a nossa está péssima. Chega de desculpas. Isto é para si, caríssimo Presidente. Estamos atrasados em relação aos "bardamerdas" e é necessário mudarmos para lutarmos em 17/18 por alguma coisa. Há que moderar e saber ser líder. Deu uma goleada a quem duvidava de si nestas eleições, pois então, é hora de trabalhar e melhorar este clube. É hora de bater na mesa e dizer: BASTA!

Basta de incompetência, basta de conformismos medíocres, basta de aburguesamentos, basta de vitórias morais, basta de promessas e palavras ditas em vão. Representam uma das instituições mais prestigiadas do mundo, tratem de honra-la a cada minuto. Se for preciso correr com vedetas para começarmos do zero? Que corra. Mas não gozem mais com esta camisola. Há que saber ser líder. Apertar com eles no devido momento, deixar o rival mas sempre combatendo contra as ilegalidades do nosso futebol. Não era você que disse que estava na cadeira de sonho? Honre o lugar que muitos de nós gostariam de ter e dignifique o Sporting Clube de Portugal. Deixe de lado o Facebook, as picardias. Há que ser mais humilde.

Montar uma estrutura profissional e competente com vista à concretização dos nossos objetivos. Montar um plantel comprometido e ciente dos valores do clube e da situação em que o mesmo se encontra. Não podemos viver de falsas promessas e do "e se". No futebol não há "se's". Até quando vamos viver das glórias do passado sem tentar alcançar as mesmas glórias no presente? 

É preciso muito mais e chega de nos conformarmos por termos um segundo lugar a jogar um futebol brilhante. Já passou, agora é hora de renovar. Sem o "Esforço", a "Dedicação", a "Devoção" nunca poderemos chegar à "Glória". Pensem nisso quando a 1 de Julho completarmos o nosso 111º aniversário. Precisamos de ser mais sérios logo após o apito final do último jogo desta época porque há uma reviravolta a operar. Mostrem o vosso descontentamento com isto. As palavras de Bruno de Carvalho podem não ter sido ditas da melhor forma e sem o melhor timming mas é o abanão que é preciso. 

Caro presidente, não basta falar. Há que fazer. Se quer marcar este seu segundo mandato pela diferença, faça! Acordem! Há muito para mudar e vamos meter mãos à obra pelo nosso clube.

A partir de dia 1 de Julho não queremos promessas de títulos e espaços em vitrines para 23º ou 19º títulos nacionais. Não queremos escândalos, polémicas e "casos". Queremos trabalho, seriedade, compromisso. Queremos que todos (equipa técnica, jogadores e estrutura) consciencializem-se sobre o quão importante é a próxima época.

Não pedimos contratações sonantes nem um futebol vistoso (se possível, melhor).

Pedimos o título e se tivermos de abdicar de tudo abdiquemos porque no final têm vocês a missão de alegrar esta família enorme. Isto foi um culminar de 15 anos que esta situação leva e que a cada ano que passa se torna mais insustentável. 

Não brinquem com a camisola do Sporting e respeitem a sua história centenária!"