domingo, 25 de junho de 2017

Sobre a AG do Sporting vista do Camarote

 



Nunca me canso de dizer que é importante no Sporting haver diferentes correntes de opinião. A democracia é absolutamente fundamental para discutir o clube. Por isso mesmo, leio com alguma regularidade blogues, páginas de apoio no Facebook ou sites que não têm a mesma linha de pensamento que o meu. Para colocar em causa o que eu penso e até para eu perceber se estou, na minha opinião, no bom caminho. Naquilo que entendo ser melhor para o Sporting.

Com a época terminada e o Sporting160 em pausa, apesar de me manter informado, não escrevo com a regularidade de uma época a decorrer e por isso mesmo cheguei tarde ao episódio da Assembleia Geral do Sporting. 

Entre Sportinguistas havia quem colocasse em causa a AG do dia 23 de Junho de 2017. Até vi falar de photoshop na imagem do jornal do clube. Estes artistas foram os que, provavelmente, levaram mais longe mentindo descaradamente. Claro que do outro lado da circular logo vieram os do costume aproveitar para fazer umas piadas sobre isso, mas esses são irrelevantes para o dia a dia do clube, agora, o Camarote, por exemplo, mesmo quem não siga o seu conteúdo, convém lembrar que foi de lá que saiu um candidato à Presidência do Sporting nas últimas eleições.

Não vale a pena repetir o que todos para já sabem: a convocatória da AG foi publicada no jornal do Sporting dia 15, no Jornal de Notícias e Diário de Notícias e mais tarde no site do clube. Podemos discutir se no site não deveria ter sido mais cedo, mas não há dúvidas que foi publicada a convocatória e quem souber os estatutos do Sporting sabe perfeitamente que por esta altura é marcada uma AG. Não houve tentativa alguma de esconder uma AG.

Mas vão mais longe os senhores do Camarote, porque o autor, depois de perceber que tinha metido água, avança para uma coisa do género como "não recebi e-mail sobre a realização da Assembleia". Não dá o braço a torcer,  escreveu um texto com base em algo que não sabia, não tinha a certeza e fê-lo apenas e só para poder atacar Bruno de Carvalho como é normal naquele blogue.

Nessa Assembleia Geral, já agora, foi discutido uma denúncia anónima que originou a notícia da TVI sobre as comissões de Costa Aguiar entre outras coisas. Colocaram-se os nomes nas pessoas, e uma delas, até fez parte da lista de Pedro Madeira Rodrigues, candidato à Presidência do Sporting e que saiu deste mesmo blogue para se lançar para o cargo de Presidente e já na altura, sem provas, lançou num programa do Sporting160 acusações sobre comissões de Alan Ruiz, sem, no entanto, conseguir provar nada. Um modus operandi habitual!

Eu não desejo o totalitarismo de Bruno de Carvalho nos destinos do Sporting Clube de Portugal, mas também não quero gente que não consegue perceber que a verdade vem sempre ao de cima, mesmo que apregoem isso.

Querem criticar o Presidente do Sporting? Força, mas pelo menos façam-no com argumentos credíveis, sérios e que sejam possíveis de discutir sem recorrer a mentiras. Poderia dar outro exemplo de blogue "amigo" deles onde espalharam a mentira, mas a quota de falta de informação atingiu o máximo com estas referências.

Há, admito, muita coisa para falar no Sporting, desde o futebol sénior masculino, à comunicação do clube,  a Academia e como aproveitar ainda melhor a formação e por aí fora, agora não há espaço, porque já perdemos muito anos nisso, em discussões e tópicos que apenas são promovidos para a divisão interna do clube quando não há necessidade de ir por esse caminho!

quarta-feira, 21 de junho de 2017

Viva o Pavilhão do Sporting!

foto: JAC1965


Hoje corrige-se um erro colossal que vinha a atormentar a vida centenária do Sporting Clube de Portugal há 15 anos. É inaugurado o Pavilhão João Rocha.

Tinha tudo para ser um dia para festejos, não só pela abertura do novo espaço, que inclui Museu e Loja Verde, mas, essencialmente porque os atletas das modalidades deste grandioso clube vão voltar a ter um casa próxima dos adeptos e sócios do clube que todos amamos. Mas, a morte de Vítor Araújo, sócio com mais de 50 anos, candidato a Sócio do Ano na Gala de 2017, retira algum brilhantismo a um momento incrível na vida do Sporting. 

À família de Vítor Araújo os meus mais sinceros sentimentos pela dor e perda do seu ente querido que é sentida igualmente por todos nós.

No plano pessoal fico muito contente por ver, finalmente, o pavilhão pronto. Contribuí para a Missão Pavilhão, não sou mais do que quem não contribuiu, apenas tive possibilidade de o fazer, e foi o meu comprometimento perante por um equívoco histórico que, há uns anos, eu como tantos outros leões não deveríamos ter deixado acontecer quando mudámos para o novo estádio José Alvalade.

Com o pavilhão do Sporting vem também a rotunda do Leão com uma estátua que já esteve na categoria de entulho, foi recuperada por outra direcção e agora volta a um local ainda mais digno.

Em relação às frases só mesmo os Sportinguistas para arranjarem as polémicas que não interessam a ninguém. Tem uma do fundador e do actual Presidente. Fosse Godinho, Bettencourt, Soares Franco, Dias da Cunha, Santana Lopes ou Roquette responsável pela obra, aceitaria de bom agrado o seu nome por lá. Mas, como sabemos isso não foi possível e enquanto uns prometeram e adiaram, pelo menos Bruno de Carvalho tem o mérito de ter cumprido a promessa de construção do Pavilhão João Rocha.

Que a linha paralela da história das modalidades que foi criada quando deixamos a Nave de Alvalade, volte hoje a ser uma única e que os sucessos sejam festejados com todos no meio de uma família que aguentou estoicamente uma das maiores tropelias que aconteceu na história do Sporting Clube de Portugal!

Viva o Sporting, vivam as modalidades!

quarta-feira, 14 de junho de 2017

Ponto de situação sobre os e-mails



O problema do futebol em Portugal, obviamente, é do cigarro electrónico e das asneiradas que Bruno de Carvalho disse nas conversas privadas que foram tornadas públicas. Todos sabemos disso e da importância que foi a alteração do artigo 136 no regulamento disciplinar da Liga Portuguesa!

Em Janeiro deste ano escrevi o seguinte e continua ainda mais actual, se é que isso é possível:

"Arbitragem? Ninguém quer discutir realmente a arbitragem. Essa é a verdade!

Historicamente, pensemos numa janela temporal de 40 anos, onde o Porto foi de longe a equipa mais beneficiada, e não quis discutir arbitragem. O Benfica, o clube que tem dominado o futebol nacional nos últimos anos, não está interessado nessa discussão. A espaços, ambos, lançaram uns foguetes, quando passaram por períodos de alguma seca."

É irónico ser o Porto o clube que revela estas conversas entre a estrutura do Benfica e a estrutura da arbitragem.

Da mesma forma que era ridículo ver alguns adeptos Portistas, que não se identificavam com aquelas práticas, torcerem-se todos para de alguma forma validar o que se tinha passado. Acontece agora exactamente o mesmo mas com os Benfiquistas.

Que a justiça entre em cena. Faça o seu trabalho de forma séria, pelo menos sem cometer os mesmos erros do passado, como aconteceu com as escutas, para perceber se o futebol em Portugal ainda tem salvação. Não vejo para já indícios de corrupção, mas também não sou advogado, mas pelo menos percebemos que os intervenientes que têm vindo a público tentam, aparentemente, influenciar os decisores ligados à arbitragem.

Por fim, cada vez mais tenho orgulho ser do Sporting Clube de Portugal, mesmo que esteja há 15 anos sem vencer o título de campeão nacional de futebol sénior masculino!

terça-feira, 13 de junho de 2017

Cigarros electrónicos em destaque na AG da Liga

foto: Ricardo Jr.

Num país que realmente estivesse preocupado com o futebol, com a urgência de reformular a arbitragem e, quem sabe, de a elevar para patamares mais dignos, a alteração ao texto do artigo 136 A do Regulamento Disciplinar poderia ser entendida de forma natural.

Esqueçamos tudo. Por momento, tomemos o lugar de Pedro Guerra e não nos lembremos de mais nada do que se passou para trás. Adicionar ao regulamento algo como "uso de expressões ou gestos ameaçadores ou indignos" e lá dentro ser mencionado o seguinte "cigarros electrónicos, e expelir fumo ou quaisquer outras substâncias, tais como saliva, na direcção de dirigentes, jogadores ou quaisquer outros agentes desportivos", seria normal.

Acontece que no futebol português tudo é paradigmático. Tudo é feito no sentido inverso e já voltámos ao cigarro electrónico.

Veja-se o vídeo árbitro. Fomos pioneiros e vamos avançar com a sua utilização na próxima época. Notável. Ajuda, claramente, a evitar que algumas decisões prejudiquem, sem necessidade, os clubes e dêem algum sossego aos árbitros. Quem foram os que logo se levantaram com queixas e dúvidas, chegando mesmo ao treinador?

E já agora o que foi ontem aprovado pelos clubes?

"Sanção de multa de montante a fixar entre o mínimo de 100 UC e o máximo de 300 UC "aos clubes que contribuam determinantemente para impedir a correta implementação, funcionamento ou utilização do vídeo-árbitro num jogo"

Isto faz sentido?

Voltando às baforadas. Obviamente há duas coisas que se salientam logo quando falamos na proibição do cigarro electrónico que ontem foi aprovado na AG da Liga.

Primeiro, medida apresentada à ultima hora pelo Benfica com votos a favor do Arouca (clube envolvido no episódio), Vitória FC (ainda choram pelo Gauld e Geraldes) e Famalicão pela mão de João Tomás. Acho que não é preciso dizer mais nada.

Segundo, foram 36 abstenções nesta medida em particular. Vou repetir, 36 abstenções, o que mostra que além do ridículo na forma como aprovada, ficamos sem perceber a razão que leva estes clubes a debater um assunto desta natureza se depois, praticamente, não se interessam pela temática.

Obviamente, tenho de concordar com Bruno Mascarenhas, esta alteração ao artigo não visa nenhuma preocupação com os agentes do jogo, é, apenas e só, uma provação ao Presidente do Sporting!

sábado, 10 de junho de 2017

A escuta de Bruno de Carvalho!


Na passada semana ficámos a conhecer uma gravação de uma reunião entre Bruno de Carvalho e alguns jornalistas. (não são afectos ao Sporting, poderia dizer alguns que lá estiveram e que até são do clube rival). 

Parece que alguns adeptos ficaram espantados com este tipo de encontros. Ou andam a dormir, ou então não sabem que estas coisas há muito que se fazem, tanto pelo lado do Sporting, como por outros clubes. Pode-se discutir a sua importância, mas não é, nesta altura relevante.

O encontro foi em "off" e pedido para que não fosse gravado.

Infelizmente alguém o fez e colocou cá fora. Embora, na minha opinião, não seja certo quem o fez, embora O Jogo e o CM estejam na linha da frente para essa responsabilidade, eu não colocaria de parte a possibilidade de ser alguém dentro do Sporting para prejudicar o Presidente do clube.

Independentemente de quem foi, fê-lo de má fé e com um objectivo claro: atacar o Presidente do Sporting Clube de Portugal. E quem ataca o Presidente do Sporting desta forma, está a atacar o clube e por consequência a todos nós: sócios e adeptos. Isto ficou claro!

Foi até com alguma frustração que vi pouca gente falar sobre este acto de má fé. Lembro-me assim de cabeça do Carlos Vaz Marques e do Nuno Santos, que, tanto quanto sabemos nem são do Sporting e, num dos casos, nem gosta muito de Bruno de Carvalho. Tiveram a atitude que seria de ter perante esta situação!

Claro que a A Bola TV também não fica bem neste quadro. Ao contrário do jornal que adoptou uma postura correcta, caso raro quando é para denegrir Bruno de Carvalho, o canal de televisão decidiu explorar as declarações. Já perceberam que vão ter algumas dificuldades em Alvalade nos próximos dias.

Quanto às 3 horas de conversa confesso que só devo ter ouvido umas duas horas. Ouvi o Presidente em tom informal a mandar umas caralhadas, sim, umas caralhadas daquelas que eu também mando nos estádios ou quando estou mais à vontade. Não o ouvi a contratar prostitutas para servirem árbitros, nem a tentar convencer que certos árbitros poderiam ser melhores para nós. Nada, por isso, foi um conas!

Se gostei de tudo o que ouvi? Não!
Não gostei da parte em que ele, de forma prepotente, fala da Gala e de outros aspectos relativos ao Sporting, mas, enquanto Presidente do Sporting não disse ali nada, absolutamente nada, que não soubéssemos, e que nos deixasse a pensar sobre a sua continuidade como Presidente do Sporting.

Não deixa de ser irónico que a gravação tenha saído a público num mês em que, primeiro, vamos inaugurar o Pavilhão João Rocha. Sim, o pavilhão que nos devem há quase 15 anos está finalmente pronto e é lindo. É unânime!

Segundo, o Sporting apresenta o relatório trimestral (os primeiros 9 meses do ano fiscal) com um resultado positivos e onde o clube apresenta o maior volume de negócio da sua história.

Terceiro, conquistamos alguns títulos importantes, no andebol, futebol feminino e formação, só para referir alguns. E ainda há mais para conquistar.

Foi para isto que votei neste Presidente, para colocar o clube financeiramente no caminho correcto, para que as compras e vendas sejam de acordo com princípios do Sporting, para que as modalidades conquistem títulos e, claro, para que o futebol masculino, o motor do Sporting, seja campeão nacional. Este último ainda não foi cumprido, tem a palavra o Presidente, sabe que o tempo está a diminuir mas, ele, melhor que ninguém, sabe da importância dessa conquista.

Nós, os sócios, estaremos cá para decidir se ele continuará ou não à frente dos destinos do clube no momento mais importante da história democrática do Sporting: na assembleia geral eleitoral!

segunda-feira, 5 de junho de 2017

O futebol feminino do Sporting vence a Taça de Portugal!

foto: Sporting

O futebol feminino do Sporting está de parabéns. Não só pela vitória de ontem na Taça de Portugal no Jamor, mas, porque no ano de regresso da modalidade vencemos tudo aquilo a que o clube se propôs vencer. E não foi apenas no futebol sénior.

Para as campeãs, de todos os escalões, aos responsáveis técnicos e dirigentes, os meus sinceros parabéns pelo fantástico trabalho em prole do futebol feminino e do Sporting.

No Jamor não esteve só apenas uma grande equipa, outras duas acompanharam o Sporting: o Braga e a da arbitragem. O Sporting de Braga que foi um digno vencido, tanto no campeonato como na Taça, pratica bom futebol, é, tal como o Sporting, a grande base da Selecção Nacional que vai estar pela primeira vez num Europeu, na Holanda. A equipa de arbitragem fez aquilo que todos esperávamos, apitou bem e passou despercebida.

Depois ainda temos os adeptos. Do Sporting, em grande parte, também do Braga, e que estiveram em excelente número no Estádio Nacional transformando a grande festa da Taça no jogo com a maior assistência de sempre em Portugal. Bravo!

Do que se passou no jogo há que realçar a excelente primeira parte do Braga, que chegou à vantagem com justiça e soube mantê-la durante 1 hora de jogo. O Sporting na segunda parte reagiu bem, Diana empatou, provavelmente, a melhor em campo, e durante os 90 minutos são houve mais golos. 

No prolongamento notou-se o cansaço físico de praticamente todas as jogadores, excepção de Ana Borges, incrível!

O Sporting chegou ao golo da vantagem por Ana Capeta, a jovem jogadora entra com regularidade para marcar e o Braga apesar de ter reagido bem, tem algumas ocasiões para empatar, não conseguiu levar o jogo para os pontapés de pénalti. 

A vitória é justa do Sporting porque soube concretizar com maior eficácia as oportunidades que teve.

Nota final para a vergonhosa transmissão da RTP. Por duas razões. Primeiro, não basta colocar um comentador habituado a falar de homens e futebol para que se faça um boa figura. Convinha que a escolha recaísse em alguém com um mínimo de conhecimento. Segundo, os sucessivos cortes na transmissão com o concerto de Manchester, quando há mais canais da RTP para esse efeito. Não contentes com os quadradinhos da transmissão a ocupar 20% do ecrã, no final nem transmitiram a entrega da Taça. Inadmissível!